Só com chinelada: baratas estão resistentes a inseticidas

Estudo mostra que baratas criaram resistência até à químicos que nunca entraram em contato!

Pesquisadores da Universidade de Purdue, localizada nos Estados Unidos, comprovaram um ditado popular: baratas são resistentes. O título foi dado depois que um estudo comprovou que a espécie conhecida no Brasil como Baratinha (Blattella germanica) está ficando imune a inseticidas. Elas são comuns em centros urbanos nos Estados Unidos, Austrália e Europa. No Brasil, só são menos populares que a Barata-americana (Periplaneta americana).

Pessoa realizando a aplicação de inseticida.
Fonte: Uol

A pesquisa

Para a pesquisa, foram investigadas três colônias diferentes presentes em apartamentos nos estados de Indiana e Illinois, durante seis meses. Na experiência, a equipe testou três inseticidas diferentes: ácido bórico, abamectina e tiametoxam. As substâncias foram usadas em cada uma das populações de jeitos diferentes:

  1. Com rotação de aplicação;
  2. Em um spray misturado;
  3.  Como iscas de gel de abamectina.

Os resultados foram surpreendentes: o método da isca foi o único eficaz em reduzir a população de baratas. Quando foram aplicados de forma alternada, a quantidade de baratas continuou a mesma. Já quando os inseticidas foram aplicados em um spray misturado, a população de baratas aumentou de tamanho. 

Resistência cruzada

Em testes de laboratório, algumas dessas baratas ainda criaram a chamada “resistência cruzada”. Isso acontece quando uma geração resistente a um agente químico adapta-se a outros semelhantes, mesmo que nunca tenham entrado em contato com ele antes. Na prática, as Baratinhas com alguma resistência a um determinado inseticida também sobreviveram a pulverização de outros tipos.

A consequência disso é uma possível geração de Baratinhas invencíveis a inseticidas. O estudo calcula que, se uma fêmea pode ter 50 filhotes a cada 3 meses, uma mutação pode se propagar rapidamente. Além disso, essa espécie é a que se reproduz mais rápido e em maior quantidade.

Então, o que fazer para combater as baratas em centros urbanos? Os pesquisadores recomendam armadilhas, melhorias no saneamento básico e aspiradores de pó. Mas, caso tais soluções não resolvam… “Pega o chinelo e mata!”

Written by 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *