58% dos brasileiros não conseguem ver progressão do Governo Bolsonaro

Em uma pesquisa realizada pelo Datafolha foi apontado que 4 em cada 10 brasileiros entrevistados não conseguem indicar uma medida positiva do Governo Bolsonaro durante o seu primeiro semestre de mandato.

Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.
Fonte: Gazeta do Povo

Quando questionados sobre o que o atual presidente tinha feito de melhor neste período de gestão, 39% das pessoas responderam a opção “nada”. 19% dos entrevistados não souberam responder o que foi perguntado.

Veja, segundo números disponibilizados pelo Datafolha, a quantidade de brasileiros que não reconhecem uma ação positiva da gestão de Jair Bolsonaro:

  • 45% das mulheres entrevistadas
  • 46% dos nordestinos entrevistados
  • 52% dos religiosos afro-brasileiros entrevistados

O número total chega a 76% na faixa de entrevistados que avaliaram a gestão de Bolsonaro como “ruim ou péssima”.

Das pessoas entrevistas que votaram em Bolsonaro, 17% afirmaram não saber o que destacar positivamente na gestão do presidente.

Apenas 8% dos entrevistados avaliaram ter visto avanços na segurança. Segundo os dados da pesquisa, 7% elogiaram a Reforma da Previdência e 4% falaram sobre o combate à corrupção como um ponto positivo do mandato do presidente.

Para 4%, a iniciativa de porte de armas no país merece destaque. 1% concorda que o plano de acabar com horário de verão é interessante e que a nomeação de Sérgio Moro para chefiar a pasta da Justiça foi uma ótima ideia.

Ações negativas

Quando questionados sobre as medidas negativas da gestão, 18%  dos entrevistados também responderam a opção “nada”.

No meio dos evangélicos, este número chegou a 22% e entre os idosos, a 25%. Os que aprovam a gestão do governo como “bom ou ótimo” chegam a 36%.

O instituto de pesquisa mostrou que as medidas da liberação ao porte de armas foi o principal fator lembrado entre os entrevistados: 21% negativo. 19% não souberam responder o questionamento.

Já a Reforma da Previdência foi rejeitada por 12% e a imagem pública, por 9%. Os cortes relacionados à educação foram citados por 3% das pessoas entrevistadas.

A pesquisa do Datafolha ocorreu entre os dias 4 e 5 de julho. O instituto ouviu 2.086 pessoas maiores de 16 anos, em 130 municípios do país.