Se Argentina criar problema, Brasil deixa Mercosul, dispara Bolsonaro

Após a polêmica declaração do Ministro da Economia, Paulo Guedes, de que o Brasil pode sair do Mercosul caso o presidenciável argentino Alberto Fernández vença as eleições do país, o presidente Jair Bolsonaro, em declaração feita hoje pela manhã, compactuou com a proposta de Guedes. 

Nas primárias realizadas no último domingo, 11, Fernández recebeu um total de 47% dos votos, enquanto que o atual presidente do país, Mauricio Macri, consolidou apenas 32%.

Saída do Mercosul

Durante sua saída do Palácio da Alvorada para cumprir compromissos de sua agenda, Bolsonaro declarou:

“O atual candidato que está na frente na Argentina, que tem vice a Cristina Kirchner, ele já esteve visitando o Lula, já falou que é uma injustiça o Lula estar preso, já falou que quer rever o Mercosul. Então o Paulo Guedes, perfeitamente afinado comigo, por telepatia, já falou: se criar problema, o Brasil sai do Mercosul. E está avalizado, não tem problema nenhum”.

Bolsonaro disse ainda que caso Fernández vença as eleições, ele está disponível para uma possível conversa, mas que, tendo em vista as questões consideradas por ele como ideológicas, a iniciativa terá de ser do próprio Fernández:

“Estou pronto para conversar. Eu não acredito que ele queira seguir nessa linha de liberdade e democracia. Esse pessoal quando se apodera do poder não quer sair mais. Eles sempre viveram às custas da coisa pública.”

Bolsonaro aposta em vitória de Macri

Sobre a finalização das eleições na Argentina, Bolsonaro disse que acredita numa vitória por parte de Macri, mesmo as primárias indicando outro possível resultado, e que o mercado financeiro pode influenciar decisivamente nos números finais:

“Olha a Argentina aqui, o que aconteceu com a bolsa, com o dólar, com as taxas de juros. O mercado deu sinal que não vai perdoar a esquerda na Argentina novamente. Os empresários não vão investir mais enquanto não resolver a situação política lá”.

A expectativa agora é pela decisão final nas urnas e como a relação dos países sul-americanos deve se desenrolar.